Inside the Rules, com André Santos

Esta é a nova rúbrica do nosso site e tem como principal objectivo esclarecer algumas das regras mais complexas do snooker.

insidetheruleslogo2

Para nos ajudar nesta tarefa teremos a colaboração do árbitro internacional certificado pela EBSA (European Billiards and Snooker Federation) e pela World Snooker, o português André Santos, a quem desde já agradeçemos pela disponibilidade e interesse em fazer parte deste espaço.

Antes de avançarmos para o "caso" desta edição inaugural, convém ficarmos a conhecer um pouco melhor o André. Aqui fica uma curta apresentação deste jovem árbitro português:

"Chamo-me André Santos, 26 anos de idade, licenciado no curso de Ciências de Comunicação. A paixão pelo Snooker começou desde muito cedo, aos 13 anos de idade quando comecei a ver Snooker pelo Eurosport. Tornei-me árbitro internacional de Snooker certificado pela EBSA (European Billiards and Snooker Federation) e pela World Snooker no ano de 2014. A minha primeira prova foi mesmo o Lisbon Open de 2014, na qual arbitrei alguns encontros e servi de marcador da TV durante outros jogos, nomeadamente o da Final. Desde então, tenho realizado provas ao nível amador e profissional. Ao nível amador, destaco a primeira que realizei, os Campeonatos Europeus de Malta em 2015, e muitas outras, nomeadamente os Campeonatos da Europa de Amadores em Praga no ano de 2016. Ao nível profissional, alguns torneios como o Open de Gibraltar, qualificações para os quadros finais de torneios de ranking e ainda o Paul Hunter Classic, este último que até à data foi dos que me deu mais gozo arbitrar e fazer parte por toda a sua envolvência e pela paixão dos fãs alemães. Já tive oportunidade de arbitrar alguns dos melhores jogadores do mundo, nomeadamente Judd Trump, Mark Allen, Mark Williams, Shaun Murphy, Kyren Wilson, Peter Ebdon, Tom Ford, Luca Brecel, Graeme Dott, Ryan Day, entre alguns outros. Até à presente data têm sido experiências incriveis, pelo que espero continuar a progredir como árbitro, e um dia poder chegar aos ecrãs da TV e continuar esta verdadeira paixão que nutro pelo Snooker."

Feita esta apresentação, passemos então à situação desta primeira edição:

inside 1

Imaginemos a seguinte situação, na qual a bola vermelha é a última das 15 vermelhas. Uma falta foi cometida, e como tal, “Bola Livre” é anunciada pelo árbitro pois o atacante não consegue atingir ambas as extremidades da bola de ordem, neste caso a vermelha. Ele pode jogar a qualquer bola na mesa como bola livre, mas opta por anunciar a bola azul como a bola livre. Jogando à azul, o seu adversário depara-se com a seguinte situação:

inside 2

Seria então falta ou jogada legal? A resposta é que seria uma jogada perfeitamente legal, pois a curva do buraco nunca pode fazer snooker ao adversário, além de que a curva do buraco do meio é a mais próxima da bola branca, e não da bola azul. Neste caso, o adversário teria que atingir a bola vermelha na próxima jogada, e, caso não o fizesse, seria chamada “Foul and a Miss” se ainda existissem pontos na mesa para ganhar a partida.

---------------------------

Esperemos que tenham apreciado este novo espaço do nosso site e, já sabem, entrem em contacto connosco através das nossas redes sociais para que numa próxima edição possamos esclarecer alguma situação que vos tenha gerado alguma dúvida. O árbitro internacional André Santos cá estará para tentar clarificar as regras que estão envolvidas nalgumas das situações complexas com que eventualmente qualquer jogador se depara numa mesa de snooker. Até à próxima!